Menu fechado

RISCOS DE PATERNIDADE TARDIA

Imagem de Freepik

Muito se fala sobre a idade materna como um grande limitador de gestação além dos possíveis problemas genéticos para o feto, no entanto ser pai em idade mais avançada também guarda seus riscos.

Os homens perdem potencial de fertilidade entre 45 a 50 anos, não se tornando inférteis como as mulheres quando entram na menopausa, pois continuam a produzir espermatozóides pela vida toda, porém em quantidade e qualidade inferior em relação quando se é jovem.

Além da idade, outros fatores associados ao envelhecimento de muitos homens são a obesidade, o sedentarismo, os vícios ( tabaco, cigarro, drogas), o estilo de vida moderno que inclui exposição a poluição ambiental, alimentação processada, contaminação alimentar por metais pesados, excesso de plástico (BPA), entre outros, o que acabam por agravar o quadro já instalado: aumentam em muito o estresse oxidativo no corpo, o que leva a diminuição da produção de espermatozóides bem como a qualidade do DNA que eles carregam, o que pode levar a anomalias genéticas.

Apesar de haver risco com idade mais avançada, ele é menor em relação a mulher. O tempo é mais ingrato com sexo feminino pois as mulheres já nascem com um número de óvulos predeterminados e não produzem novos ao longo da vida, acabando-se todos eles na menopausa.

A idade adequada para homens engravidarem suas parceiras é até os 50 anos (quanto mais jovem, obviamente melhor) enquanto para as mulheres o limite fica em 35 anos, idealmente por volta dos 20 anos.

Entre as doenças possivelmente relacionadas a paternidade tardia estão: TDAH, transtorno bipolar, autismo, esquizofrenia, lábio leporino e anomalias genéticas e/ou cromossômicas.

A gravidez precisa e deve ser planejada no que diz respeito ao tempo e a idade dos parceiros pois vários são os riscos incluídos nessa decisão. É preciso estar ciente deles para prosseguir sem sustos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *