Menu fechado

PREJUÍZO HORMONAL E DE FERTILIDADE PÓS USO DE ESTERÓIDES

Imagem de topntp26 no Freepik

O uso e abuso dos esteróides anabolizantes (EAA) é gritante nos dias atuais. Vários fatores concorrem para isso: a busca pelo corpo perfeito como forma de auto afirmação ou destaque, a facilidade da informação antes restrita a médicos e hoje tão difundida pela internet ( e de uso corrente entre personal trainer, bodybuilders e o pessoal do meio fitness) além do acesso ao mercado underground que possibilita compra sem receita, a preços mais baixos e até de medicamentos que não foram liberados pela ANVISA no Brasil.

A grande consequência do uso de EAA, a despeito de obviamente promover um porte físico invejável e inatingível por meios naturais, é que ele afeta de maneira importante o eixo de produção hormonal do homem, trazendo prejuízos não só para a sua produção endógena de testosterona como também uma redução na fertilidade, que pode levar a esterilidade completa em alguns casos.

Normalmente, o público que utiliza é o jovem, na maioria dos casos não possui prole definida e isso pode levar a grandes transtornos no futuro, sobretudo porque muitos desses jovens sequer são avisados do potencial prejuízo na sua capacidade hormonal e fértil; alguns infelizmente descobrem no consultório do urologista o que de fato está acontecendo.

A maioria dos garotos que se permite utilizar os esteróides se baseiam no fato de que o retorno ao funcionamento normal das funções ocorre independente de qualquer intervenção médica. Em parte isso é verdadeiro, no entanto esse processo quase sempre se desenvolve com o que chamamos de crash hormonal, que é um período em que o paciente experimenta níveis muito baixos de testosterona enquanto aguarda o restabelecimento natural do seu eixo produtor: isso impacta na vida como um todo onde o cansaço, a fadiga, a falta de energia, de cognição, de libido e disposição sexual ficam extremamente comprometidas.

Um outro ponto fundamental é que a volta natural depende de vários outras fatores: tipo de EAA utilizado, dose, tempo de uso e características individuais biológicas que podem determinar uma volta mais rápida ou não, ou até mesmo o não retorno ao perfil natural prévio ao uso dos EAA.

É importante ressaltar que todo usuário de EAA que queira parar o uso e ter seu eixo hormonal e sua fertilidade restaurada com maior taxa de sucesso e menor efeitos deletérios, deve procurar um profissional competente para prescrever a terapêutica mais adequada e personalizada para aquele indivíduo. Não se paute por receitas prontas de internet, como o uso tão difundido do citrato de clomifeno: esse tipo de abordagem não condiz com um padrão de excelência que devemos prezar para tratar da saúde.

Há inúmeras estratégias previstas para esse processo de recuperação: uso de SERMS, de HCG urinário, HCG recombinante, LH recombinante, FSH recombinante, entre outras possibilidades, usados isoladamente ou em combinações variadas. O universo é amplo e só médicos especialistas no assunto podem prescrever o tratamento mais adequado ao seu caso.

Fica então o alerta aos pacientes: procure se informar sobre todos os efeitos possíveis do uso de EAA com profissionais sérios e caso decida por esse caminho e precise de ajuda, saiba que há tratamento e possibilidade de recuperação real, desde que realizada de maneira assertiva.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *