Menu fechado

PSA NORMAL E CÂNCER DE PRÓSTATA

Image by stefamerpik on Freepik

É muito comum que homens, além de pouco procurarem o médico, costumem ir ao clínico geral e solicitar como rastreamento de câncer de próstata apenas o exame de PSA ( antígeno prostático específico). Uma vez que ele venha dentro dos parâmetros normais de laboratório, o paciente é tranquilizado e vai para casa, certo que de está tudo bem.

O PSA é um exame de sangue fácil de fazer, de repetir, de baixo custo e sim, trouxe um grande avanço no diagnóstico precoce e seguimento do câncer de próstata, porém não é um exame absoluto e cem por cento preciso, aliás, na medicina, nada é cem por cento.

Um trabalho antigo, publicado em uma revista renomada, o NEJM, New England Journal of Medicine, mostra que em diversas faixas de PSA considerado normal existe um risco de câncer de próstata: por exemplo, esse exame entre 1.1 e 2,0 ng/ml encerra um risco de 17% de doença e é considerado um exame dentro da normalidade.

O urologista é único médico que analisa esse exame com ouras variáveis importantes : levamos em consideração a idade, a relação entre psa total e psa livre, densidade de psa, velocidade de crescimento anual, outras características individuais além do exame físico ( o toque retal), que podem levar a condutas diferentes de um clinico geral .

O toque retal é um exame rápido, fácil, indolor e que traz muitas informações com relação a próstata: tamanho, consistência, simetria e presença de nódulos que podem existir mesmo em pacientes com psa normal. O toque aumenta a sensibilidade da detecção de câncer de próstata, juntamente com o exame de sangue. Eles precisam ser feitos juntos e avaliados pelo profissional competente.

Frente a isso fica um alerta: faça seus exames periódicos com seu urologista e fique em dia com sua saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *